Realização, pedagogia, criação e exibição de audiovisual.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Hoje: Lançamento mundial (online) do videoclipe: Eu Quero o que era Meu, de Daniel Guera e Marvim Maciel.

Por Jiddu Saldanha (blogueiro)

Uma parceria de dois poetas-músicos só poderia dar no que deu, uma obra prima da baixada, um trabalho esmerado com uma linha melódica que busca o melhor da tradição brasileira. A energia da música que brinca com estilos que viajam do nordeste ao Rio de Janeiro e desemboca no talento criativo do intérprete e compositor Daniel Guerra.
O videoclipe "Eu quero o que era meu" será mostrado hoje, na rede mundial de computadores, através de um link que será divulgado às 20h. Horário de Brasília, para que o mundo todo sintonize este momento mágico da criação brasileira.
Rodado na cidade de Cabo Frio, o videoclipe contou com uma equipe e elenco formados pela nova geração de artistas cênicos da cidade, oriundos de diversas escolas de teatro da região. Com isso, conseguimos juntar um time, tanto de universitários, profissionais e voluntários, para dar um pontapé coletivo na bola que começa a rolar hoje, em campo, rumo ao sucesso. 


Daniel Guerra na companhia de Lorena Benevenuto, Daniel Arm, Nadir Pires e Kalil Zarif, cena do 
videoclipe "Eu quero o que era meu". Foto:Nathally Amariá.

FICHA TÉCNICA

Música: Eu quero o que era meu - Daniel Guerra e Marvin Maciel 
Itérprete: Daniel Guerra
Direção, roteiro, câmera: Jiddu Saldanha 
Assistente de Direção, Co-roteiro e still: Nathally Amariá
Equipe: Henrique Selani, Lorena Benevenuto, 
Maquiagem: Nadir Pires 
Elenco: Celso Guimarães Júnior, Dandara Melo, Daniel Arm, Daniel Guerra, Kalil Zarif, Lorena Benevenuto, Mayra Baptista, Nadir Pires e Nara Lumière 
Elenco de Apoio: Gladys Pinheiro, Rafaela Medeiros, Thayanne Teixeira. 
Participação Especial: Aurora 
Produção: Nathally Amariá e Rafaela Medeiros
Realização: Projeto Cinema Possível.
Agradecimentos: Rodrigo Rodrigues, André García, Associação TRIBAL.

Lançamento (online) no youtube: 09.03.2017
às 20h.

__________


Leia entrevista exclusiva dom Daniel Guerra.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

10 anos de Cinema Possível - Vem aí, um videoclipe novo para Comemorar.

Equipe e Elenco do videoclipe comemorativo dos 10 anos do projeto Cinema
Possivel. "Alma Lavada" é uma parceria dos músicos Paulo Ciranda e
Marco Valença. Fruto de uma enorme dedicação que trouxe energias
renovadas para nosso projeto, em 2017.
Uma coisa que nunca abrimos mão de fazer, foram os filmes de poesia e os videoclipes. Começamos com uma parceria, em 2007, com o poeta Artur Gomes, de Campos dos Goytacazes e o músico carioca Marco Andrade. A partir daí, trabalhamos com diversos músicos. Andra Valladares, de Vitória - ES, Mako Brasil - Japonesa que vive no Brasil, Luciana Coló, cantora do grupo Mulheres de Chico, Marcos Boi - de São Paulo, o famoso cantor Byafra, o querido Anand Rao e Parcerias inesquecíveis, como Chris Hermmann e Paulo Ciranda, Karol Shchittini e Nicolás Farrúggia, entre tantos outros presentes que temos recebido da arte nestes 10 anos de aventura artística. 
Dedes seu surgimento, o projeto Cinema Possível aprontou todas! Um de nossos maiores orgulhos são, sem dúvida, a parceria com a ONG CECIP, do inesquecível cineasta Eduardo Coutinho. Foi lá que emplacamos um projeto de grandes proporções, o famoso "Do Giz ao Píxel" que rendeu uma parceria com a escola de cinema Darcy Ribeiro, no Rio de Janeiro além de lançar no mercado profissionais que temos orgulho de citar, como a montadora de filmes Bárbara Morais, que começou fazendo filmes com a gente e hoje, desfruta de uma carreira internacional.

Dois nomes da geração 80, Paulo Ciranda e Marco Valença, desfrutam de uma profunda verve poética e até hoje, nunca
deixaram de produzir. Parceiros cantadores, dividem sua poética com os passarinhos, através de um cancioneiro afinado
e de textura espiritual.




Com uma equipe vibrante e participativa, o Cinema Possível dá início às comemorações de seus 10 anos, clipando uma belíssima canção de Paulo Ciranda e Marco Valença: "Alma Lavada" tem tudo o que procurávamos para criar um clipe surrealista. Melodia em forma de canção e uma letra simples, por onde se esconde um poço de metáforas para nosso mundo, nossa época, nosso Brasil. A música se propõe a falar de amor, no entanto, o nível de sua construção e fluidez poética, leva o expectador a uma profundidade inesperada e foi exatamente isso que tentamos captar neste clipe. Onde 

VIDEOCLIPE 10 ANOS DE CINEMA POSSÍVEL - 2017

SINOPSE
Um grupo de mulheres se deparam com uma parede branca e uma questão a discutir: O Amor. Decidem fazer sua própria leitura do que é o sentido do amor e, lavam a alma, colocando pra fora todos os seus bichos interiores.

FICHA TÉCNICA:

MÚSICA
Alma Lavada

AUTOR
Paulo Ciranda e Marco Valença

DIREÇÃO GERAL E ROTEIRO
Jiddu Saldanaha

FOTOGRAFIA STILL SET:
Camille Miranda

PRODUÇÃO:
Nathally Amariá, Rafaela Medeiros e Jiddu Saldanha

COORDENAÇÃO DE SET
Celso Guimarães Júnior e Lorena Benevenuto

CENÁRIOS (LOCAÇÕES)
Nathally Amariá e Camille Miranda

APOIO DE MAQUIAGEM:
Thays Luz

CONTRARREGRAGEM
Rafaela Medeiros, Celso Guimarães Júnior e Lorena Benevenuto

ELENCO:
Andreza Ferreira, Emily Petersohn, Kéren-Hapuk, Laryssa Rodrigues, Ludmila Galván, Nadir Pires, Nara Lumière e Nathally Amariá.

REALIZAÇÃO
Projeto Cinema Possível


Pesquisar este blog